Busca:

Imposto Complementar “Mensalão”


O recolhimento complementar é um recolhimento facultativo que pode ser efetuado pelo contribuinte para antecipar o pagamento do imposto de renda devido na Declaração de Ajuste Anual, no caso de recebimento de duas ou mais fontes pagadoras pessoa física e jurídica, ou mais de uma pessoa jurídica.

Exemplo: pode ser utilizado por aposentados que receberam de mais de uma fonte pagadora. Nesses casos, como cada rendimento é analisado separadamente pela fonte pagadora respectiva, não há o recolhimento sobre o montante global recebido no mês pelo contribuinte.

Para fazer o cálculo do imposto complementar, deve ser utilizada a tabela progressiva anual do imposto de renda das pessoas físicas e podem ser deduzidas, desde que pagas até o mês do recolhimento mensal, as despesas com instrução, médicas e as escrituradas em livro Caixa, além das deduções utilizadas na base de cálculo mensal ou pagas até o mês do recolhimento mensal.

O imposto complementar pode ser retido, mensalmente, por uma das fontes pagadoras, pessoa jurídica, desde que haja concordância, por escrito, da pessoa física beneficiária, caso em que a pessoa jurídica é solidariamente responsável com o contribuinte pelo pagamento do imposto correspondente à obrigação assumida.

O recolhimento deve ser efetuado, no curso do ano-calendário, até o último dia útil do mês de dezembro, utilizando-se um Darf (Documento de Arrecadação de Receitas Federais).

Para preencher o Darf, utilize preferencialmente os programas Sicalc, ou Sicalcweb ou ainda um modelo de Darf em branco, com o seguinte preenchimento:

 

image

Fonte: Receita Federal

Post Relacionados

2 Comentários

RSS de comentários. TrackBack URI

  1. Prezados Senhores,

    Existe uma situação de fato que a Receita Federal por incompetência ou pelo simples fato de querer gerar receita sem muita explicação, acaba deixando o contribuinte sem um conjunto de regras para cumprir suas obrigações fiscais.

    Uma pessoa física que tem duas fontes de renda, uma como empregado e outra como liberal com livro caixa escriturado.

    Não existe uma regra clara de como e onde calcular o imposto complementar e quais os valores serão efetivamente utilizados para cálculo.

    Vamos ver o seguinte exemplo:
    Salário de R$ 4.000,00
    INSS de 11% R$ 440,00
    1 dependente: R$ 150,69
    Imposto Renda pago na fonte: R$ 261,47

    Outra fonte pessoa fisica com livro caixa:
    Renda Bruta: R$ 3.800,00
    Livro Caixa: R$ 2.100,00
    Renda Líquida: R$ 1.700,00
    Imposto a pagar: 15,07

    Como calcular o imposto complementar?
    Se houver a soma dos valores brutos recebidos e calculado o imposto, o valor será exorbitante.
    É possível somar as duas rendas líquidas e calcular-se o valor do complementar, dai deduzidos o imposto já pago e/ou recolhido na fonte?
    É possível deduzir o dependente da segunda fonte de renda também, ou só se pode deduzir o dependente de uma das fontes?
    Grato

    Comentário por Alexander J Saliba — 12 de março de 2011 #

  2. Caro leitor, somos um portal de informação sobre o imposto de renda, por consultas particulares sobre declaração do IR, encorajamos nossos leitores para consultar um profissional contábil para se ter todas as garantias de que a declaração terá contemplado todos os pontos que o seu caso particular merece.
    A declaração em si, tem tantas particularidades dependendo do contribuinte e a situação que ele apresenta que é arriscado para nós e de pouco valor de orientação para você, por não conhecer em profundidade o seu caso.
    Muito obrigada por ler nosso blog, aqui terá as mais recentes novidades sobre o Imposto de Renda. Volte sempre.
    MGonzalez

    Comentário por MGonzalez — 27 de outubro de 2011 #

Deixe um comentário

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Condiciones de uso de los contenidos | Responsabilidad

| Canal Brasil